Arquivo da tag: o que é ser urbanista

o que é ser urbanista?

Seguindo a linha dos fichamentos, vai mais um. O livro da vez é “o que é ser urbanista”, de Jaime Lerner.

Me recordo que quando o li, há pouco mais de cinco anos (logo do lançamento), comecei a me questionar das razões de Curitiba ter sido e continuar sendo uma referência mundial à do conceito de “cidades para pessoas”.

Me parece que vale a pena iniciar a leitura desse fichamento (ou do livro) de forma bastante crítica e atenta aos ruídos produzidos pela comunicação/marketing de Lerner. Mais válido ainda é ver essa entrevista com Henri Lefebvre, de 1972, para criar uma perspectiva crítica analítica capaz de desconstruir boa parte do que tem sido propagado por Lerner. A tradução foi feita com bastante cuidado e vale o elogio.

Hoje, cinco anos depois, me parece importante constatar que Curitiba se vendeu bem ao mundo com um modelo de cidade que produziu um monstro: a cidade mais motorizada do Brasil.

 

PS: o fichamento jamais sofrera revisão. É possível encontrar vários e vários erros de gramática e digitação.

PS2: o fichamento nada mais que um rascunho de uma perspectiva pessoal sobre o livro. Não há nenhum apego ao normativismo acadêmico. Tão pouco há tal intenção.

PS3: o fichamento não possui uma perspectiva crítica sobre o texto.


O que é importante saber na vida de uma cidade?…é preciso conversar com a população,ouvir suas ideias e considerar seus pontos de vista.

Muitos querem fazer tudo e não têm prioridades,outros são paternalistas,alguns não têm visão solidária,muitos não têm visão estratégica,e a maioria não sabe ou tem dificuldade em fazer junto com a população.Aprendi também que a burocracia pode sepultar boas ideias.Viver em uma cidade implica ter um sonho coletivo.w

Rua e caminhada são duas palavras que se atraem,…’’caminho por uma rua que passa muitos países.’’

Em 1972,…decidimos fechar para automóveis um trecho central da rua XV de Novembro,que passou a ser conhecida como Rua das Flores,a primeira rua para pedestres no Brasil…tivemos que fechar a rua em 72 horas,num fim de semana,para evitar os protestos…depois de alguns meses,todos pediram que eu aumentasse a extensão da rua para pedestres…era a consolidação prática de um exercício teórico.

A cidade pensada para as pessoas,para o coletivo,e não para o automóvel,o individual:a cidade que valoriza a rua em detrimento da construção de viadutos e grandes obras viárias.

A melhor opção era um metrô de superfície…o passageiro paga a tarifa quando entra no tubo,e embarca por meio de uma plataforma que está no mesmo nível do ônibus.Eliminamos a morosidade causada pela escada na hora do embarque e pelo pagamento dentro do veiculo,trazendo para o ônibus duas facilidades do metrô…trafegam por pistas exclusivas,cercadas por canaletas…BRT…87 cidades de 29 países…simplicidade…nos assumimos um compromisso com a simplicidade…

Motoristas teriam dificuldade em parar o veículo com as portas exatamente no local do embarque das plataformas das estações…-basta colocar uma marca,ou uma fita adesiva,no tubo e outra no vidro do ônibus ao lado do motorista.Quando ele alinhar as marcas,o encaixe das portas está garantido…compromisso com a imperfeição,sempre acreditando na possibilidade de aperfeiçoar o sistema…prepotente a ponto de querer ter todas as respostas antes de iniciar os projetos,sob pena de as coisas nunca acontecerem…ninguém se dispõe a correr riscos.Você tem que trabalhar na sinergia dos acontecimentos…uso de tecnologia apropriada,não obrigatoriamente sofisticada.

Cada vez mais vamos viver numa cidade 24 horas.Algumas ruas ou regiões urbanas terão destinações diferentes durante o dia…ginásios esportivos que funcionam dois ou três dias por semana,poderão ganhar outras utilidades nos dias ociosos,como abrigar uma feira…estrutura já semidesmontada ou guardada no ginásio…quando você não encontra solução no espaço,tem que resolver no tempo’’.

Pode-se fazer com que os ambulantes ocupem as calçadas,e até algumas ruas,uma hora depois do pico do movimento de carros e ônibus…colocar os ambulantes para trabalharem à noite,trazendo vida a luz para uma região perigosa ou abandonada…o conceito de múltipla utilização…rua 24 horas,que funcionam com um comércio adequado aos objetivos da ideia:uma banda de jornais e revistas,um bom restaurante,um café,fast food e uma loja de lembranças da cidade,outras atividades que podem funcionar a noite inteira…as pessoas são atraídas pela luz e pelas outras pessoas –gente atrai gente-.

O funcionamento 24 horas permite ainda a recuperação de áreas abandonadas…e revitalizar é voltar a viver.Você tem que criar animação,trazer vida para os bairros fazendo o uso de estruturas portáteis que vão preencher uma determinada função na cidade,por um determinado período.Em alguns lugares são necessárias áreas de lazer,abastecimento,como a instalação de um circo ou de uma feira.Uma grande revitalização para o comércio,por exemplo,são ruas portáteis para funcionar à noite,…ferida na natureza onde fica a marca da exploração humana.

Quem tem estrela não pode temer a chuva.

Parcerias Impossiveis

70%da população separa o lixo em casa,transformando cada residência numa pequena usina.Foi a forma que encontramos para evitar o gasto desnecessário com a tradicional separação feita em usinas.

Em 1989,lançamos o programa Lixo que não é Lixo…

Realizada uma grande campanha de conscientização na cidade,principalmente com as crianças nas escolas,durante alguns meses.

“o futuro está logo ali,basta atravessar a rua.O que pesa na vida da gente é o passado’’…diminuição progressiva da escala dos geradores de emprego…serviços estão cada vez mais segmentados..Estrutura de vida e trabalhos juntos…existem várias cidades dentro de uma só…para muita gente,morar na cidade significa viver fora dela.Poucos percebem que muitas cidades estão se transformando em guetos de ricos,isolados dos guetos dos pobres…a grande preocupação urbanística atual é tentar promover o retorno daquilo que as cidades tinham de bom…advogue proximidades de moradias com locais de trabalho…desperdiçar energia e tempo em deslocamentos improdutivos.Em cidades e países onde as funções moradia e trabalho estão separadas acontece o desastre urbano,que abre espaço para os oportunistas de plantão,Cada um procura vender o sistema de transporte,mas,muitas vezes,são soluções equivocadas…Os sistemas não podem competir no mesmo espaço

Não há recursos disponíveis no mundo para fazer redes completas de metrô enterrado ou elevado…ônibus representa apenas 6% da poluição do ar de uma cidade.Os automóveis são responsáveis por mais de 90% dessa poluição…muito mais prática a fiscalização das frotas de ônibus para garantir que seus motores sejam compatíveis com as normas de preservação ambiental….

Diminuição do tamanho dos veículos,o que os torna adequados para as cidades,mas pouco compatíveis com rodovias cheias de caminhões…Bicicletas leves e desmontáveis terão papel importante no futuro da mobilidade urbana…O carro urbano será cada vez menor e de uso compartilhado,a exemplo do Velib,de Paris. Mas “dockado” a energia elétrica…Dock Dock…

Não se pode planejar uma cidade pensando apenas no aspecto formal e nas questões legais.Muitos equívocos acontecem quando não se considera o aspecto informal de uma cidade.As projeções da ‘’cidade do futuro’’ devem considerar que cada vez mais pessoas moram em áreas ocupadas ilegalmente e,em muitos casos,de modo definitivo…trocas entre os setores informal e formal.Há uma convivência possível entre eles,como já nos mostram as feiras livres…Quando a cidade tem mais trocas entre os diversos níveis de rena,ela é menos violenta.Não pode haver guetos de gente rica e de gente pobre.As pessoas iludem-se quando se isolam em condomínios exclusivos,fechados,pensando comprar segurança.Por mais protegido que seja um condomínio,sempre pode haver um assaltante a espreita do lado de fora,pronto a atacar na chegada ou na saída de um morador.A melhor forma de segurança é conhecer o seu vizinho….um dos bens intangíveis de Curitiba é a vizinhança diversificada…a cidade do futuro não pode conviver com a miséria do presente,sob pena de continuar sendo uma cidade do passado…é preciso levar qualidade de vida às favelas…os governos devem trabalhar na infraestrutura das favelas.

Utilizando-se o corrimão das escadarias para levar água e energia morro acima…um dos maiores problemas das favelas é o lixo,devido às dificuldades de acesso por causa do terreno ou mesmo da violência.Mas a coleta pode ser feita se os moradores forem incentivados a levar o lixo até o caminhão,trocando-o por vales -transporte ou mercadorias…zona franca das favelas…isentar de parcelas de impostos as pessoas gerassem empregos na favela.O morador da favela,não pode ter como única alternativa o comercio das drogas ou prostituição…qualquer melhoria que se faz em uma favela traz benefícios para toda a cidade.

Favelas estão os bolsões da pobreza,onde vivem pessoas que estão vulneráveis às tentações da marginalidade,às doenças,à desnutrição,ao desemprego…tenham melhores condições de higiene,saúde,emprego e educação,para que possam levar uma vida digna e participar,do desenvolvimento da cidade.

Temos que estimular o amor do morador pelos cantos do seu bairro,uma ladeira,uma quebrada…a campanha de melhor alcance publico para essa questão é a que motiva as crianças a conhecerem suas cidades,os bairros e os rios que passam perto de suas casas….quem pode avaliar o impacto da regularidade do horário de ônibus na vida e no cotidiano da massa trabalhadora?E na autoestima da população?Você oferece um meio de transporte digno,com boa frequência,mais conveniente do que o automóvel,sem falar no preço.Isso é qualidade de vida.

1970,Curitiba tinha meio metro quadrado de área verde por habitante,hoje são 50 metros quadrados;sendo que a população da cidade triplicou nesse período.

O governo estadual disponibilizou assessoria técnica e aval financeiro para que os pequenos municípios tivessem acesso a empréstimos internacionais a juros baixos.O gerenciamento foi feito em parceria com as associações de municípios…1 bilhão….3800 obras.

Em 1968,quando os alunos da universidade de Brasília expulsaram os professores das salas durante a crise universitária e os alunos optaram por convidar profissionais autônomos como professores para não prejudicar o ano letivo…quando expliquei  aos professores presente que faltava no meu currículo o titulo de mestre,eles responderam:’’É exatamente o que queremos:sua experiência’’.

Dato a prefeito de São Francisco,Art Agnos…Trabalhar com pessoas,sejam alunos ou mestres,significa abrir vários níveis de relacionamentos,que acabam nos ajudando no desenvolvimento de outras sensibilidades.

‘’Acupuntura urbana’’,para a cidade,estimulando os alunos a apresentar suas ideias…As pessoas,no fundo,têm um raciocínio similar em relação à cidade,o que falta são oportunidades para expor e realizar ideias…existem mestres que sabem fazer e mestres que não sabem fazer,que apenas justificam porque não fazem.São especialistas em justificar.Eu sou mestre que sabe fazer.’’…aproximou de todos os elementos de uma equipe.

Plasticidade do concreto…Chinês T. Y. Lin…como tratar o problema nas megacidades?…escolha da direção que o crescimento urbano deve seguir…a escolha da tecnologia é fundamental.

O avanço no setor dos materiais também pode ajudar nessas soluções..processo de criação autêntico do pensamento humano…falta de oportunidades de participação pública…como vamos quantificar o valor da expressão maravilhada de uma plateia diante da obra da arte?A arquitetura e o urbanismo…instrumentos de geração de oportunidades nas cidades.

Em Curitiba,uma análise nos parques e mesmo em outras obras do centro,vai revelar que na maioria das construções,o material básico usado são os postes de madeira reciclados -que estavam sendo substituídos na iluminação pública por postes de concreto…disposição inicial de nossa parte,de ordem estética,para trabalhar com madeira.Aliamos o interesse em reciclar os postes que estavam saindo de linha para evitar que virassem lenha na fogueira…quanto ao movimento pós moderno,foi uma colagem,uma arquitetura de moda que felizmente passou…’’post-modern shit’’…melhor solução para o aeroporto é não ter aeroporto.

Gigantescos shoppings centers…devemos levar para o aeroporto somente o passageiro,com todos os procedimentos de embarque já realizados,e não a cidade inteira…a utopia é o cenário do desejável,está comprometido com sua realização…trabalhar muito para conseguir fechar o ciclo.Esse é o valor da determinação..é mais simples não pensar com a própria cabeça.

Metrô era utilizado para transporte de mercadorias durante as madrugadas.

Burocracia é irritante.

Os americanos eram especialistas em recuperação de edificações.

É muito agradável trabalhar quando você tem a história ao seu lado…é preciso somente preservar e expor ao público aquilo que durante séculos o homem construiu…exige mais espírito coletivo e,portando,campanhas públicas,de massa,que incentivem esse aspecto da cidadania…reforçar a identidade de uma cidade…a identidade,o sentido de pertencer a uma cidade,é uma componente fundamental de qualidade de vida.Costumo dizer que uma cidade é como um retrato de família que você rasga,goste ou não do nariz que um tio ou de uma tia gorda.Você não rasga porque esse retrato é você.

Chère Louise…Roma,de Fellini.Encontros e desencontros,em que a diretora Sophia Coppola…operação frança…bonequinha de luxo…blade runner.

Um americano em Paris…no fundo do coração…os cineastas americanos adoram mostrar a destruição de suas cidades,ao contrário dos europeus…estimula a fantasia do que aquela que manipula a tragédia…a eternidade e mais um dia…o cinema une as pessoas,depois de cada sessão do cinema,não saímos com os amigos para trocar ideias e comentar o filme?

‘’Se não houver frutos,valeu a beleza das flores.Se não houver flores,valeu a sombra das folhas.Se não houver folhas,valeu a intenção da semente’’

Mimi,o metalúrgico,A classe operária vai ao paraíso.

Domenico De Mais.

Isso tudo é a cidade…’’aqui fiz meu curso de realidade e de fantasia’’.

Angústia sempre que vejo uma cidade se deteriorar…contrafluxo de todos que se empenham sistematicamente em dizer que determinada cidade não tem solução;daqueles que não conseguem enxergar a cidade onde cada vez mais se dissocia a atividade econômica das pessoas.Em todos os lugares onde se pensou a atividade econômica separada dos assentamentos urbanos houve sérios danos…a cidade não é problema,tem que ser solução…transporte,habitação,saúde e boas condições para o meio ambiente…cidades com boa qualidade de vida os índices de violência são menores…globalizar a solidariedade…a cidade é o refúgio da solidariedade.Independentemente da solidariedade e justiça,precisamos definir quem vai ocupar cafés,as ruas,os parques…eles são o pólen que a juventude deve sorver.

Vontade política de acertar…equívocos urbanos históricos podem ter suas causas facilmente identificadas pela dissociação de vida e trabalho,projeção da tragédia,insistência,em tendências não desejáveis pela população,falta de uma visão global e estrutural da cidade,imobilismo do diagnostico, muitas oportunidades aos vendedores de complexidade,falta de compreensão do papel indutor das cidades,formação de guetos de pobre e ricos e ênfase no conhecimento estatístico em detrimento do conhecimento das pessoas…todos devem se sentir participando das decisões e parte de um grande projeto…celebrar uma cidade.

 

Anúncios
Etiquetado , ,