Arquivo da tag: cidade para pedestres

Como acontece um acidente?

A gente se acostumou a ouvir que muitos acontecimentos nas cidades são “ACIDENTES”. Mas…Como esses “acidentes” acontecem?

Começa assim: vai que vai acontecer, todo mundo sabe que vai acontecer, a vizinhança sempre fala que vai acontecer, ninguém faz nada para evitar que aconteça e, quando acontecer, as pessoas dirão “FOI ACIDENTE!”. Acidente é algo que não inesperado, né? Mas…Se todo mundo sabia que ia acontecer, era mais que esperado, né? Era questão de tempo.

Chega mais, bora construir um potencial acidente em BH.

As chuvas de janeiro vieram e arrasaram um montão de ruas e avenidas. A Prefeitura iniciou a reconstrução das ruas, em especial na regional Centro-sul, do jeitinho que elas eram antes, priorizando a circulação de automóveis e largando calçadas e sinalização para pedestres para o final. Ou para nunca.

Na avenida Tereza Cristina, importante corredor da cidade, as chuvas foram intensas e fizeram estrago. Pasasdo alguns meses, a Prefeitura recapeou a via inteira, pintou quase tudo (falta pintar algumas faixas e alguns trehcos), exceto um trechinho da ciclofaixa que termina na Tereza Cristina. Mas não é o foco desse post. Vem mais um pouquinho aqui.

Nas chuvas, algumas vigas que sustentam a aberração da canalização do Arrudas na Tereza Cristina (e na Andradas) romperam. Junto com elas, uma passagem de pedestres (sinalizada na imagem) foi junto. E, depois de recapear tudo e pintar boa parte do trecho, a Prefeitura deixou de lado os pedestres.

Sem a travessia, quem mora de um lado da Tereza Cristina não consegue mais acessar, em segurança (pessoas adultas e jovens, sem deficiência, atravessam nas vigas), a quadra poliesportiva que existe do outro lado.

Na altura da travessia, de um dos lados, existe uma academia da cidade. Crianças circulam por ali. Embora o sinal no trecho esteja desligado (para tentar sinalizar às pessoas que não atravessem – porque não há onde atravessar em segurança), existe um risco enorme de deixar o local como es´ta.

Se não for fazer a obra da travessia de pedestres – o que contraria o Plano Diretor da cidade, que privilegia o andar a pé e não o trânsito de automóveis – que se coloque um isolamento que impeça possíveis “acidentes”.

Se alguém ou um animal cair ali, não será acidente.

 

Etiquetado